Sonho do hexa adiado para 2014

GAZETA DO POVO: De herói a vilão em noventa minutos; da possivel glória a grande decepção no mesmo período. OBrasil de Felipe Melo deu adeus ao Mundial da África do Sul ao perder – de virada – para aHolanda, por 2 a 1, no Estádio Nelson Mandela, em Porto Elizabeth. Depois de quarenta e cinco minutos soberanos, tudo deu errado para o time verde-amarelo na segunda etapa, com um jogador expulso e até gol contra.

A seleção brasileira agora arruma as malas e volta para o Brasil. A Holanda aguarda o vencedor de Gana e Uruguai nas semifinais.

O jogo

O jogo começou nervoso, com Robinho e Felipe Melo chegando junto aos holandeses. Logo aos 7, Daniel Alves recebeu em posição clara de impedimento – que não foi marcado de imediato pelo auxiliar coreano Jeong Hae Sang – e rolou para Robinho fazer. O gol foi anulado, sem muitos protestos brasileiros.

Talvez porque a Seleção soubesse que aos 10 o mesmo Robinho faria de novo, desta vez valendo. Após belo passe de Felipe Melo, genial, o atacante do Brasil deslocou sem trabalho o goleiro holandês Stekelenburg: 1 a 0. O Brasil estava melhor em campo e quase ampliou aos 30. O ataque nacional triangulou bonito até que Kaká recebesse na entrada da área. Com categoria, ele tentou colocar a bola no ângulo, mas Stekelenburg fez uma defesa sensacional.

Do banco de reservas, o técnico Dunga se desesperava com a arbitragem, reclamando a todo o momento. Seja com a falta de cartões para os holandeses, que faziam uma sequencia de faltas, seja com as marcações equivocadas do árbitro japonês Yuichi Nishimura. Mesmo assim, o Brasil sobrava em campo, talvez com a melhor atuação em todo mundial, deixando barato o placar mínimo do primeiro tempo.

Segundo tempo com a Holanda muito melhor

Não aproveitar as oportunidades na primeira etapa acabou custando caro ao Brasil já aos 7 do segundo tempo. Sneijder levantou uma bola pela direita e Júlio Cesar saiu mal do gol, se confundindo com Felipe Melo. A bola entrou no gol brasileiro, deixando tudo igual e dando dramaticidade ao jogo. Apesar do chute do meia holandês, a Fifa deu gol contra do volante brasileiro.

O Brasil pareceu sentir o gol e perdeu produção. Dunga, temendo o fato de Michel Bastos (que estava anulando Robben) estar amarelado, trocou o jogador por Gilberto.
A Holanda tomou conta do jogo e passou a espremer o Brasil no campo de defesa. Em cobrança de escanteio, aos 23, Robben levantou, Kuyt desviou e Sneijder, no segundo pau, fez a virada: 1 a 2. Quando a coisa já estava ruim, aos 28, Felipe Melo, irresponsável, pisou em Robben e levou o vermelho, deixando a Seleção com um a menos. Descontrolado, o Brasil passou a assistir a Holanda trocar passes.

Aos 32, Dunga resolveu apostar em Nilmar no lugar de Luis Fabiano. Em dois lances de escanteio, a Seleção teve boas oportunidades para empatar, mas não conseguiu. O jogo ficou quente, com as duas equipes alternando bons ataques. A partir dos 40, a Holanda passou a gastar tempo. Como em 2006, o Brasil ia se despendindo nas quartas.

O trio de arbitragem deu três minutos de acrescimos para que os brasileiros tentassem o empate. Mas, desesperados, os jogadores da Seleção erravam em demasia. Com caras espantadas, ainda querendo entender o que aconteceu, o Brasil viu o fim do jogo e da Copa, com festa laranja. Hexa, agora, só em 2014. Certamente com muita pressão dentro de casa.

Anúncios

Um comentário sobre “Sonho do hexa adiado para 2014

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s