Os tapas do Feio

Independentemente do resultado das urnas, um fato é incontestável: Roberto Requião é um político superado e em extrema decadência. Alijado do poder desde que renunciou ao cargo para concorrer a senador, ele vem sentido na pele, dia a dia, a repulsa de grande parte do eleitorado. A rejeição, se antes não era percebida por conta do encastelamento próprio do exercício da função de governador, agora bate à sua porta e à sua face. O incidente em que levou duas bofetadas do diretor empresarial do Porto de Paranaguá. João Lopes dos Santos, conhecido como João Feio, é a síntese dessa história. O agressor, despreocupado com as consequências de seu ato, literalmente “meteu a mão” no Roberto, não sem antes chamar o irmão dele, o Eduardo, de criminoso. Testemunhas do ocorrido relatam que Requião, após os safanões que levou, saiu rapidinho do local, até porque houve quem risse e aplaudisse o feito. O Roberto, literalmente, está na lona.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s