Flanelinhas incomodam motoristas nas ruas da Capital

FONTE: BLOG DA JOICE | Além de gastar dinheiro com impostos como IPVA, seguro obrigatório e licenciamento os motoristas de Curitiba também precisam se preocupar em pagar outra conta: a dos guardadores de carros. A atividade é ilegal, mas os chamados flanelinhas estão em todas as avenidas, vias e esquinas da cidade e os valores cobrados muitas vezes chegam a assustar os motoristas. Foi o que aconteceu com a publicitária, Beatriz Giublin que saiu com as amigas para dançar em uma boate e precisou estacionar o carro em uma rua no bairro Bacacheri. Quando chegou ao local por volta das 11 horas da noite não avistou nenhum guardador de carro. Mas de madrugada quando se preparava para voltar pra casa, deu cara com um flanelinha que exigiu o pagamento de 10 reais pelo tempo estacionado. Situações como essas são comuns em Curitiba.
O contador Rodrigo Pereira trabalha em um edifício localizado na rua General Carneiro, no centro, e conta que todos os dias se depara com um guardador de carro que trabalha no local como se fosse o dono da rua. A enfermeira Ana Gonçalves afirma que se sente refém dos flanelinhas e cobra uma atitude das autoridades. Existe uma lei federal sancionada em 1975 que prevê a regulamentação do trabalho do guardador de veículos autônomo. Para conseguir o registro é preciso procurar a delegacia regional do trabalho e apresentar alguns documentos. Mas para exercer a profissão é preciso que a prefeitura autorize, mediante lei municipal, em quais ruas os guardadores poderão atuar. O procurador do Ministério Público do Trabalho, Alberto Oliveira, afirma que a atividade é ilegal se não houver autorização. Apesar de ser um instrumento para regulamentar a profissão a lei de 1977 nunca foi aplicada em Curitiba. Mas já foram feitas tentativas para organizar essa classe. Em 2000 o vereador Jair Cesar (PSDB) incentivou os guardadores a se organizarem para criar a associação curitibana de guardadores de veículos amigos do trânsito. Ele explica que os flanelinhas foram orientados sobre como agir no trato com a população. A associação dos guardadores de veículos de Curitiba ainda existe, mas conta com apenas 110 profissionais credenciados. Não existe um levantamento sobre numero total de pessoas que trabalham como guardadores de carros em Curitiba.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s