Teste: Você é coxinha?

Em geral o coxinha é a denominação dada às pessoas brancas, de classe média ou alta, que possui uma compreensão rasa da realidade brasileira, considerando que seus problemas são prioritários em relação a de outros menos afortunados. Em resumo tratasse da elite econômica brasileira que luta para manter o status quo.
No entanto, não precisa ser rico para ser considerando um autêntico coxinha.
Algumas características são comuns à pessoas classificadas desta forma.

Então se prepare.

Abaixo segue algumas frases e ideias comuns a este espécime. Se você se identifica com maior parte delas vista sua melhor camiseta da seleção e saia às ruas orgulhoso.

[ ] Bandido bom é bandido morto
[ ] Devo sempre bater panela quando – e apenas se – o PT aparecer na TV
[ ] Já fui pra rua com camisa da CBF pelo impeachment de Dilma
[ ] Ciclovia vermelha é propaganda petista
[ ] Toda e qualquer coisa contrária ao PT que apareça no face deve ser curtido e compartilhado pq é verdade
[ ] O sul é meu país
[ ] Bolsa família é coisa de vagabundo
[ ] Pela intervenção militar constitucional já
[ ] Arma de fogo para cidadãos de bem
[ ] Não havia racismo antes do PT
[ ] Se não passou no Jornal Nacional é mentira
[ ] O filho do Lula é dono da friboi

Voto nulo NÃO ANULA ELEIÇÃO!

Voto nulo não anula a eleição. Vamos desmontar de uma vez por todas essa mentira.

Toda eleição é a mesma coisa: fatalmente alguém vai compartilhar na sua timeline ou enviar pro seu email uma campanha convocando todos a votar nulo, a fim de invalidar a eleição e eliminar os candidatos da vez. Como se trata de uma imbecilidade e, mais que isso, de uma mentira, achei por bem fazer uma pequena boa ação e explicar, de forma simples e objetiva, por que toda e qualquer campanha pelo voto nulo não passa de babaquice.

1) Se 50% mais 1 dos votos em uma eleição forem nulos, o pleito é anulado e os candidatos substituídos.

É MENTIRA! Quem prega essa imbecilidade o faz por não entender a regra prevista no artigo 224 do Código Eleitoral. Diz ele que “Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.”

Acontece que essa nulidade aí de cima é aquela decorrente de decisão da justiça eleitoral, não de algum protesto retardado de meia-dúzia de pessoas que não sabem interpretar um texto de lei. Lendo o artigo 224 junto com o 222 fica mais fácil entender, já que este último fala sobre as hipóteses em que a eleição é anulável (fraude, coação, etc.). Ou seja, se acontecer um dos tipos de fraude eleitoral previstos em lei e a justiça eleitoral, em razão dele, anular mais da metade dos votos, aí sim será feita outra eleição.

Como o assunto é importante e muita (sério, muita mesmo!) gente compra a lorota, trago abaixo um texto da própria justiça eleitoral sobre o assunto:

    Com a proximidade da eleição, é frequente a circulação de e-mails e mensagens nas redes sociais com a falsa informação de que, se a maioria dos eleitores votar nulo, a eleição é anulada. Na verdade, só há convocação de nova eleição quando mais de 50% dos votos válidos são declarados nulos em processo judicial, fraude ou cassação de um candidato. O equívoco ocorre por uma interpretação literal do artigo 224 do Código Eleitoral (…).

    Os votos anulados pela Justiça Eleitoral, portanto, não se confundem com os nulos digitados nas urnas como protesto político. Nesse caso, os votos nulos sequer são considerados na apuração do resultado da eleição. Por exemplo: um candidato A recebe 30% do total de votos e o candidato B, 10%, enquanto 60% dos eleitores votam nulo. Nesse caso, a eleição não é anulada. Os votos nulos serão descartados e o candidato A será declarado eleito com 75% dos votos válidos.

Não bastasse tudo isso, lá vai um belo resumo de tudo o que se falou acima:

Acho que ficou bem claro, né? Se, depois disso tudo, você ainda quer comprar a baboseira de que mobilizando muita gente pra votar nulo a eleição é cancelada, só posso dizer que ser trouxa é um direito que te assiste.

Fonte: Construindo Pensamentos

Comissão de Feliciano exige teste da farinha para entrar nas igrejas

Antes de mais nada, o título deste artigo é obviamente jocoso, mas talvez seja a maneira menos ridícula de se abordar o caso.

Os mais novos não devem saber disso, mas “teste da farinha” era – até algum tempo atrás – a brincadeira que se fazia com os garotos que iam prestar o serviço militar.

Pedindo perdão antecipadamente pelo relato gráfico que faremos a seguir, que a alguns poderá parecer obsceno, passamos a explicar o folclórico procedimento.

A prova, de extremo mau gosto, consistia em fazer o rapaz se sentar nu, com as nádegas entreabertas, sobre uma bacia recheada com alguns kilos de farinha de trigo, de maneira que, ao se levantar, ficaria exposto o molde dos anéis (no popular, as “pregas”) de seu ânus, o que permitiria saber se ele era homossexual ou não.

Captou o constrangimento?

Não há registro de que o “teste da farinha” tenha sido feito em alguma repartição militar, mas a simples ameaça de que ela viesse a ser feita algum dia deve ter intimidado alguns machões, não é mesmo?

Eis que ontem, 16 de outubro de 2013, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados, presidida por Marco Feliciano (PSC-SP), tendo como relator o militar da reserva Jair Bolsonaro (PP-RJ), deu encaminhamento ao projeto de lei que autoriza as igrejas a expulsarem do seu recinto pessoas que “violem seus valores, doutrinas, crenças e liturgias”.

O autor do projeto é o deputado evangélico Washington Reis (PMDB-RJ), da Igreja Nova Vida, que assim o justificou:

“Deve-se a devida atenção ao fato da prática homossexual ser descrita em muitas doutrinas religiosas como uma conduta em desacordo com suas crenças. Em razão disso, pelos fundamentos anteriormente expostos, deve-se assistir a tais organizações religiosas o direito de liberdade de manifestação”.

Fica claro, portanto, que os destinatários da iniciativa são os homossexuais, provavelmente numa retaliação ao beijo lésbico que duas moças promoveram num evento em que Marco Feliciano pregava em São Sebastião (SP), o que levou o pastor-deputado a mandar prender as duas.

Numa paulada só, portanto, Feliciano e sua trupe parlamentar mandam às favas os conselhos de Pedro, Paulo e Tiago nesses versículos:

Romanos 2:11 pois para com Deusnão há acepção de pessoas.

Efésios 6:9 E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo que o Senhor tanto deles como vosso está no céu, e que para com elenão há acepção de pessoas.

Colossenses 3:25 Pois quem faz injustiça receberá a paga da injustiça que fez; e não há acepção de pessoas.

Tiago 2:1 Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.

Tiago 2:9 Mas se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo por isso condenados pela lei como transgressores.

1ª Pedro 1:17 E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor durante o tempo da vossa peregrinação,

Isto mostra que estão faltando muitos versículos na Bíblia de certos “pastores”, e que a disputa e a pregação deles não têm nada de bíblica, mas o seu discurso é meramente político e ideológico com fins eleitoreiros.

E tem gente que ainda os leva a sério…

Logo, não se surpreenda, meu caro mancebo, se chegar o dia em que você será convidado a se sentar peladão numa bacia cheia de farinha na entrada do templo, para delírio dos fiéis.

Quem avisa, amigo é…

Fonte: http://ocontornodasombra.blogspot.com.br/2013/10/comissao-de-feliciano-exige-teste-da.html?m=1