Relato de bar

“Hoje eu estava tomando um café, no Bar do Carlão, quando desesperadamente precisei peidar.

A música estava bem alta, então calculei para soltar o gasoso em sincronia com o ritmo.

Não deu outra. Lá se foi a feijoada, molho de repolho e ovos cozidos sendo liberados no ritmo da música.

Fiquei orgulhoso pelo peidão fragmentado, ritmado, em sincronismo perfeito com a música…

Comecei a me sentir melhor e mais aliviado…

Terminei meu café tranquilamente; só então notei que todo mundo estava me olhando.

Então lembrei que estava escutando música no meu iPod…

Nunca mais tomo café ali.”

A história das coisas

Filminho meio antigo na internet mas um dos mais geniais! Recomendo que use 20 minutinhos de seu tempo para uma das poucas coisas relevantes na rede.

A HISTÓRIA DAS COISAS é um documentário repleto de fatos que olha para o interior dos padrões do sistema ocidental de extração, produção, consumo e lixo. Desde a sua extração, transformação até à sua venda, todas as coisas que compramos e usamos na nossa vida afetam as sociedades e o ambiente a nível local e mundial

O filme mostra o quanto os processos industriais afetam de forma direta o desenvolvimento sustentável e indiretamente todos os seres do planeta Terra.

Podemos dizer que não há mal que cometam ao mundo que não tenha seus reflexos, aliás, estamos vendo aí como que a exploração dos recursos naturais alteram a naturalidade das coisas.  A atmosfera é um local onde permanentemente ocorrem reações químicas, Ela absorve  uma grande variedade de sólidos, gases e líquidos proveniente de fontes tanto naturais como industriais. E são exatamente essas fontes industriais que o filme usou como foco para tamanha destruição. A grande quantidade de elementos como o dióxido de enxofre que é o poluente mais característico do processo industrial que é proveniente da combustão de fluídos-óleos e do carvão que quando queimados liberam grande quantidade de enxofre no ar. Que combina com oxigênio e forma o dióxido.

Basta vermos como que as  alterações no clima são mais constantes e vermos também acontecimentos que nunca antes foram vistos no mundo estarem ocorrendo de uma forma tão constante.

Foi visto que as crescentes mudanças no conceito de industrialização foi algo que contribuiu e que contribui muito para que os processos fabris viessem a poluir tanto. Fazendo se alterar os aspectos encontrados que são elementos  das atividades, são produtos, são serviços  de uma organização que pode vir a interagir com o meio ambiente  e os transformando em impactos ambientais negativos de grande porte.

O filme mostra que uma maneira pratica de se alterar os mecanismos atuais é através da conscientização ambiental por meio das pessoas, das indústrias, o que já poderia contribuir muito para alteração do quadro atual. Porém é muito complicado alterar mecanismos que já viemos viciados no consumismo e falar sobre conscientização agora onde é totalmente aparente o que está acontecendo com nossa casa a Terra.

A HISTÓRIA DAS COISAS expõe assim as conexões entre um enorme número de importantes questões ambientais e sociais, demonstrando com fatos, que ao consumirmos de forma inconsciente e desmedida, estamos a destruir o mundo e a nós mesmos, e assim incentiva a criar uma maior consciência do problema e um mundo mais sustentável e justo para todos, para o planeta Terra e para futuras gerações.

CRÉDITOS

Texto de Denilson Tassinari em http://lotus81.spaceblog.com.br/608742/RESENHA-DO-FILME-A-HISTORIA-DAS-COISAS/

Filme adaptado de Story Of Stuff, narrado por Annie Leonard

Edição Rogério Pereira

A história do cocô

Cultura: você vê por aqui… hauhauhau…

Ps.: Um beijão pra Paulika… minha tonguitcha preferida! Bjomeliga…

Ah, sim… a letra pra quem quiser acompanhar!

Já tô acostumado,
Já tô acostumado a ser pisado,
Maltratado,
Ser jogado pro esgoto,
Ser usado como xingamento,
Palavrão,coisa ruim.

Já tô acostumado.

Ah coitado!
Que coitado o que?
Ele é um cocô!
Ô seu cocô,não fique chateado.
É mesmo,
O que há de errado?

Vou contar a minha história,
Uma triste,
Triste história,
Me chamam de fedido,

Fedido!
Nojento,

Nojento!
Caca,

Caca!

De tudo que é ruim.
Ninguem gosta de mim,
Mas eu não tô nem aí,
Eu sô cocô,
E eu nasci assim.

Já tô acostumado,
cocô,
cocô,
olha o cocô!
Já tô acostumado,
cocococô!

Hihi,cocô!

Hnf,hnf,
Cocô.

Eu existo,
porque vocês são bichos,
que gostam de comer.

Milho é muito bom!
Hum,chocolate!
Hum,grama!

E tanta comida serve pra que?

Pra gente ficar mais forte,
Mais bonito,
Mais crescido ó!

Mais todo bicho que gosta de comer,
Depois do que ele come,
Lá dentro da barriga ele faz o que?
Cocô!
Faz o cocô!
Cocô!
Ele faz o cocô,
Yeah,
Yeah,
Uuuuuuuu,
Ele faz o cocôôôôô,
Uôuô!

Opa!
Me dá uma licencinha?

Cocô,
Cocô.

Hihihi,
cocô.

Tá,
Mais agora posso limpar você daí?

Ah,limpa Júlio,
Cocô não serve pra nada mesmo.

Opa!
Inútil não!

Tem muito bicho,
Que acha que cocô é lixo,
E não serve pra nada
Que acabou.
Ô bicho,
Você não sabe de nada,
Cocô ajuda a terra a fazer comida pra você comer,
Yeah!
Ãããã???
É verdade,
o meu avô!

Nada como um cocô de vaca,
De cavalo,
Ou de galinha,
Pra adubar a terra…

Ô cocô,
Então você gosta de voltar pra terra?

Eu amooo…
A terra e minha mãe,
Ela me quer,
Tchutchurutchururu,
Com ela eu sou feliz,
Tchutchururururu,
Eu ajudo,
Ajudo,
Ajudo,
Ajudo,
Eu viro adubo,
Adubo,
Adubo,
Adubo,
Meu cheiro vai saindo,
Seco e sou feliz!
Yeah!

Óóóóóóóó,
Ó tá de parabéns viu seu cocô.

Obrigada,
Obrigada.